20 de abril de 2008

Normas ABNT - Trabalhos acadêmicos

Quando dava aulas de Metodologia da Pesquisa ou mesmo de Química, um dos maiores problemas que enfrentava com os alunos era fazer com que eles consultassem as Normas da ABNT para a produção de qualquer tipo de trabalho acadêmico, inclusive um relatório de aula prática. O que todos precisam entender é que, se somos acadêmicos, temos que nos submeter a essas normas e não tem jeito. Não há motivo para reclamações, pois imaginem se não existissem essas normas? Os artigos, monografias, teses, seria um caos total! Cada um fazendo do jeito que acha melhor, ninguém iria entender o que o outro quis dizer ou fazer.

Como essas normas são imprescindíveis na nossa vida, catei o que tinha e procurei juntar o que é mais importante na apresentação de trabalhos acadêmicos, que vai de um relatório de aula prática a uma tese de doutorado!

Para ter acesso ao documento, clique aqui.



21 comentários:

O Fênix disse...

gostei do seu blog, embora tenha um blog metido a engraçadinho, tb admiro blogs serios, principalmente pq esse vai me ajudar

http://terradafenix.blogspot.com/

Nome: Rapha disse...

ah nossa, meu amigo tava pedindo minha ajuda para fazer um trabalho com as normas do abnt!
mas vou passar o link desse blog para ele! eu fiz varios traalhos quando estava no EM. e tbm tive q fazer um projeto no final do meu curso de pecuária!
Muito bom esse blog viu!


bom feriado!

Mayna disse...

Eu tive essa matéria - Metodologia científica. Realmente é muito chato essas normas da ABNT, mas se tem que usar, fazer o que né...rsrs

http://maynabuco.blogspot.com

caio arroyo disse...

Como é bom entrar em um blog com conteudo, eu estou no ultimo ano de jornlaismo e aaidna tenho algumas dificuldades sobre trabalhar com essas regras, vai me ajudar muito essa lista que voce fez

Dourado disse...

Ainda bem q não faço mais faculdade, rsrs

mas a gente sempre precisa dessas normas,

inté

aqui o balãozinho dos comentários ficou legal

Parabéns!!!

Renê disse...

Muito útil!
Só lembro que as normas da ABNT não são apenas para trabalhos acadêmicos, mas para qualquer produto que se deseje. Qualquer produção deve estar de acordo com as normas!
Valeu pela ótima iniciativa!

Luiz Abnt disse...

Excelente post pois divulga mais informações e principalmente o "caminho das pedras" para a formatação ABNT.
Apesar das reclamações e das dificuldades enfrentadas para a formatação de monografias e demais trabalhos de pesquisa, tais normas são essenciais para a padronização e homogeneização da apresentaçao dos mesmos.
Tais normas não existem para dificultar a vida dos alunos, pelo contrário, já que permitem uma apresentação mais ideal do conteúdo exposto nas monografias.
No entanto, o que podemos observar nas aulas de metodologia científica mais comumente, não há uma verdadeira transmissão da importância da ABNT e da sua normatização de redação e apresentação, transformando-a em uma antagonista dos alunos e suas monografias, quando na verdade é uma grande aliada

cmz disse...

Olá, vocês se enganam quanto à obrigatoriedade das normas da ABNT. Elas são obrigatórias para fabricar parafusos ou lâmpadas, mas não para textos acadêmicos. Não há nenhuma lei obrigando seu uso, apenas decisões isoladas de professores ou instituições. Para mais detalhes, sugiro a leitura do seguinte texto: http://www.ppgia.pucpr.br/~maziero/doku.php/so:normas_da_abnt

Abraços,

Carlos

Alcione Torres disse...

Ué, então parece que estive em outro planeta até agora. Toda instituição exige que seus trabalhos sejam feitos dentro das normas da ABNT. Quem já fez qulaquer tipo de pós-graduação sabe disso.

Carlos Maziero disse...

Alcione, o que escrevi é verdade. Nenhuma lei federal, estadual ou municipal impõe o uso das normas da ABNT para trabalhos acadêmicos. São os professores e instituições que impõem as normas, na maioria das vezes por conveniência ou preguiça de definir um formato próprio. Ah, nem todas as instituições exigem a ABNT. Inclusive, a própria ABNT chama suas normas de "recomendações".

Você sabia que nos países desenvolvidos não existe esse tipo de "padrão para trabalhos acadêmicos"? Pode procurar nos EUA, Canadá, França, Inglaterra, etc, não vai achar nada. Esse padrão é típico do nosso terceiro mundo, onde damos mais valor à forma que ao conteúdo dos textos.

Você escreveu que "Quem já fez qualquer tipo de pós-graduação sabe disso." Eu tenho graduação, mestrado e doutorado; já orientei dezenas de mestrandos e coordeno uma especialização há quase 10 anos...

Em meu post anterior o link saiu truncado. Vou postá-lo de novo, em duas linhas:

http://www.ppgia.pucpr.br/~maziero/
doku.php/so:normas_da_abnt
(por favor junte as duas linhas para acessar a página)

Boa leitura!

Alcione Torres disse...

Mas é isso! As instituições exigem! Não estou dizendo o contrário! E não são decisões isoladas, como você disse. São todas elas, ou, praticamente todas!
E se as instituições exigem, existem dois caminhos: ou se faz uma manifestação para que isso acabe ou se aprende a usar!
Eu sou a favor das normas. Cada um escrever do jeito que quer acaba causando confusão em quem, por exemplo, lê um artigo ou uma tese para um trabalho que precisa fazer.

Alcione Torres disse...

A propósito, você que é doutor, coordenador de curso, orienta dissertações e teses, você usa dessa liberdade? Se sim, como você faz para que esses trabalhos sejam aceitos nas instituições e organizações como as que produzem periódicos, por exemplo?

Carlos Maziero disse...

Eu uso minha liberdade. Não sigo as normas da ABNT e aconselho meus alunos e colegas a não usá-las. Publico vários artigos por ano em eventos e periódicos reconhecidos e nunca tive de formatá-los pelas regras da ABNT. Nenhum periódico ou simpósio brasileiro decente na minha área (informática) segue essas normas.

Eu não disse que padrões de formatação não devem ser seguidos. O que eu digo é que as normas da ABNT não são adequadas, pois não são públicas: são comercializadas e copiá-las é ilegal. A ABNT ganha muito dinheiro com a venda de normas. Se formos obrigados a seguir uma norma ou regra, ela tem de ser pública, aberta na Internet para quem quiser usar. Enquanto não for assim, sou contra.

Alcione Torres disse...

Então, a sua área é a privilegiada.
A nossa, não é assim. Toda a área de ciências naturais e ciências humanas não é assim. Pelo menos, nunca vi nada que fosse livre das normas da ABNT nessas áreas. Então, aqui, não se aplica a questão de não ensinar as normas.
Sugiro que você envie uma carta a todas as instituições brasileiras, à CAPES, com essas palavras que você colocou aqui. Seria muito interessante!

Renê disse...

Também acho que as Normas deveriam ser abertas ao público e, também acho que os trabalhos devem ser normatizados! No mundo acadêmico estamos sujeitos a modelos. saão modelos para preenchimento de planos de trabalho, para relatórios de trabalho, para textos técnicos. Seguimos um modelo até mesmo aqui nestas postagens. Liberdade de expressão é ótimo, mas não creio que precisemos perder a liberdade porque temos que seguir as normas como as da ABNT. Acho que a organização que ela propõe é saudável. proponho que iniciemos uma campanha para abrir as normas a todos que a queiram!

Carlos Maziero disse...

Enviar uma carta a todas as instituições brasileiras? Desculpe, mas você deve estar brincando... :-)

Eu já escrevi a várias instituições e a formadores de opinião na área; também defendo essa posição em reuniões de pós-graduação e em simpósios. Mantenho aquela página que indiquei e a divulgo sempre que posso. Mas esse é um esforço de longo prazo, e tem de ser coletivo.

Você sabia que o ministério público federal tem ações na justiça contra a ABNT, para forçar a publicação irrestrita das normas? Eles já conseguiram isso em algumas áreas, como as normas para a fabricação de equipamentos para deficientes físicos, por exemplo.

Alcione Torres disse...

Quando falei da carta eu não estava brincando. Estava querendo lhe mostrar que você estava enganado ao dizer que o uso das normas para trabalhos acadêmicos são "decisões isoladas"!
As normas deveriam sim, ser públicas, mas é possível encontrá-las em qualquer biblioteca universitária. Nisso você tem razão, mas vim aqui dizer para os professores não utilizarem com seus alunos, é muita pretensão sua, ainda mais não sendo da área e não conhecendo a natureza do nosso campo de trabalho.
Me admira muito isso vindo de uma pessoa da informática, onde deve haver normatização para quase tudo, pois é necessário para o bom entendimento entre os pares.
Sugiro que você continue sua luta e que seja bem sucedido. Mas acho que este assunto, aqui, já está mais do que esclarecido.

SCHABIB disse...

Estimada Alcione,
Obrigado por nos permitir uma fonte segura para tirarmos dúvidas sobre as normas da ABNT.
Seu blog, além de extremamente criativo, generoso e útil, nos convida a um convívio fraternal, sem o qual o universo virtual não faz sentido.
Como Você, humildemente, nos convida a apresentarmos sugestões, atrevo-me a propor-lhe a inclusão de normas e modelos para resenha e trabalhos acadêmicos de menor número de páginas (os quais dispensam de todo aquele roteiro). Tenho certeza de que facilitará a vida dos estudantes de graduação e pós-graduação latu sensu destes tempos telemáticos.
Parabéns por tantas qualidades reunidas num só blog. Avante em seu trabalho!
Fraternalmente,
Schabib Hany (revisor de textos)
schabib@gmail.com

Normalização Souza disse...

entender e usar da forma correta todas essas normas que as faculdades fazem questão é muito complicado realmente...
eu ofereço um serviço de auxilio aos universitários que precisam enquadrar seus trabalhos nessas normas, mas não tem tempo suficiente ou tem dificuldade para normalizar seus textos.
Dá uma passadinha lá no meu blog tbm.
http://normalizacaodasouza.blogspot.com/

Parabéns pelo post e pelo conteúdo das normas que vc reuniu.

Geoneds disse...

tem certeza que são necessárias mesmo? e oq vc tem a dizer sobre a pedagogia freiriana? cada um tem a sua forma de pensar, aprender e criar. sendo assim, não seria preciso prender o aluno dentro de um método, bitolá-lo... assim criando a sua autonomia de modo crítico.

"Saber que ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção"
- Paulo Freire

Alcione Torres disse...

No mundo poético talvez não seja, mas no mundo acadêmico, sim. Precisamos de normas que nos façam falar uma língua que seja entendida da mesma forma por todos, sem margem a ambiguidades. É assim que a Ciência trabalha.

Related Posts with Thumbnails