13 de agosto de 2008

Desenvolvimento sustentável. Como assim?

Você já parou para pensar de verdade nessa história de desenvolvimento sustentável? Tem idéia do que é e do que você pode fazer para ajudar nessa empreitada?

Segundo a WWF-Brasil,

"A definição mais aceita para desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro. Essa definição surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de harmonizar dois objetivos: o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental."
Harmonizar desenvolvimento econômico e conservação ambiental não é nada fácil. Já estamos acostumados com toda a mordomia que o desenvolvimento científico e econômico concedeu ao nosso dia-a-dia: luz elétrica, água na torneira à vontade, tudo o que se pôde e ainda se pode inventar utilizando os polímeros, todo tipo de papel para todo tipo de necessidade, etc. Impossível enumerar tudo o que já estamos acostumados a usar, que não imaginamos ficar sem e que, de alguma forma, da forma como é feita hoje, contribui para a degradação do ambiente em que vivemos. Aí surge essa conversa de desenvolvimento sustentável, essa história de que temos que repensar a forma como a nossa mordomia vai nos destruir! Difíci... Complicado... Passamos por uma era de desenvolvimento desenfreado e agora temos que pensar num outro tipo de desenvolvimento: aquele em que podemos ter todas as mordomias, mas saber como sobreviver a elas!

Sempre penso em como fazer isso e a única resposta que me vem à mente é: EDUCAÇÃO. É educando que conseguiremos atingir esse novo modo de vida. A escola é o principal responsável por fazer com que os novos consumidores, os novos empresários e os novos cientistas tenham uma nova forma de pensar e possam continuar desenvolvendo esse mundo sem fazê-lo entrar em colapso.

O professor e a professora de Ciências Naturais precisam abraçar essa causa e colocar o problema do desenvolvimento sustentável definitivamente em suas aulas. Existem muitos meios para se atingir esse objetivo. Cada um escolhe os que mais se adequam à sua realidade. Mas algo tem que ser comum a todo e qualquer projeto de ensino voltado para essa questão: é imprescindível fazer com que os alunos pensem no assunto e não se tornem robozinhos repetidores do que ouvem em sala de aula, mas não sabem bem para que isso serve.

Um exemplo muito sério e simples de como não se tem feito os alunos realmente pensar sobre os assuntos que envolvem o meio ambiente é o discurso bonitinho de que o lixo deve ir para o lixo e a forma como a sala de aula fica após sua saída. Imunda! Já pararam para observar isso? Eu já e fiquei pasma em perceber que até no Ensino Superior isso acontece e em maior proporção na faculdade privada. Observei bastante esse fato em algumas turmas de Engenharia Ambiental que lecionei. Você leram bem? Engenharia Ambiental! E alunos veteranos, em sua maioria!

Pois bem, o que quero dizer com esse texto é: façam seus alunos pensar no mundo que querem para si e para seus filhos e netos. Mas façam pensar de verdade! Dispensem os discursos bonitos e prontos que trazem dos mais diversos meios. Construam um novo discurso, mais consciente, mais efetivo. "Percam tempo" discutindo e fazendo com que os alunos pensem nas formas que possuem para ajudar a fazer do desenvolvimento sustentável uma realidade.

É possível? Acredito que sim. Vamos tentar e ver se dá certo?


Esse texto faz parte também do blog Roda de Ciência. Por favor, façam seus comentários aqui.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails